Livros, lutas e história das Pessoas com Deficiência
Escreva subtítulo aqui

MINHA VIDA COM BORIS - A COMOVENTE HISTORIA DO CAO

Sinopse

Numa manhã de maio de 2000, a advogada Thays Martinez e seu cachorro Boris saíram dos Estados Unidos para São Paulo. Os dois tiveram a entrada barrada numa estação de metrô, pois os animais não eram permitidos nas instalações. Os funcionários da estação não aceitaram nem mesmo o argumento de que cães-guia são instrumentos de acessibilidade e autonomia para pessoas com deficiência visual, como Thays, cega desde os quatro anos. Neste livro, ela relata o ocorrido, abordando, também, a ação judicial que moveu contra o Metrô e sobre sua relação de amizade com Boris.

O Que É Impossível Para Você?

Nascido sem pernas e sem braços devido a uma doença extremamente rara, a Síndrome de Hanhart, estas são cenas da incrível trajetória de vida de Marcos Rossi, descritas com bem-humorada vividez neste 'O que é impossível para você?'. Com a candura que somente os corajosos possuem, Marcos compartilha conosco, sem qualquer auto-piedade ou vitimização, as circunstâncias de cada uma das conquistas que atingiu em sua busca diária pela superação dos desafios e limites, tanto os nossos quanto os que nos impõem. Ele nos ensina a não carregar frustrações ou tristezas para o dia seguinte. Sua história nos mostra que é obrigatório jamais desistirmos de nossos sonhos. Ao final, talvez exista apenas uma coisa realmente impossível: você permanecer o mesmo depois de ter lido este livro. - See more at: https://www.outletdelivro.com.br/produto/o-que-e-impossivel-para-voce-24658#sthash.mxaVY3LM.dpuf

Uma Vida sem Limites

Nick conta a história de sua deficiência física e da batalha emocional que travou para conviver com isso na infância, adolescência e vida adulta. Compartilha com o leitor a força de sua fé e explica que, depois que encontrou seu senso de propósito - inspirar as pessoas a melhorar sua vida e o mundo -, achou confiança para construir uma vida produtiva e sem limites. Nick encoraja o leitor mostrando como aprendeu a aceitar o imponderável e se concentrar em suas habilidades possíveis

A Doce Sinfonia de Seu Silêncio

Este é um verdadeiro conto de fadas. Inesperado, doce, forte, sublime. Luciana Scotti, vítima de uma fatalidade, ainda muda e tetraplégica, batalhou pela vida e encontrou seu príncipe encantado! Neste livro ela nos conta como o encontro, o amor, o carinho, a vida com seu amado fizeram-lhe novamente mulher. Uma mulher inteira. Queremos que esse amor ilumine seu caminho.

A saga de um campeão

Ser vítima de um acidente e ficar entre a vida e a morte é, sem dúvida, uma experiência avassaladora. No caso do atleta e medalhista olímpico brasileiro Lars Grael - que teve a perna direita decepada ao ter seu veleiro atingido por uma lancha em alta velocidade - foi preciso também administrar a frustração de perder um membro vital para a sua carreira.

A Trajetória de uma Mãe Especial

E foi assim... Quando eu pensava que você não era. Tive que aceitar que era. E aprender a te amar mesmo assim. Quando eu imaginava que você não podia, você foi lá e fez. Nos momentos difíceis, eu me desesperava. E você sorria. Nos momentos de dor, eu sofria. E você lutava... E a sua vida, para as pessoas que não te conhecem, é um martírio. Enquanto para você, é como um circo, onde o importante é se divertir. Nas horas de dores você luta. Nas dificuldades você ri. Onde te julgam coitado, você se faz vencedor. Você! Mesmo sendo criança, me fez crescer. Sem sentar, sequer, você mudou minha postura. Sem andar, você me fez caminhar. Com todas as suas dificuldades você me ensinou a resolver as suas e as minhas. Mesmo antes de falar sua primeira palavra ensinou-me o diálogo. Os seus defeitos visuais fizeram-me enxergar. A sua imaturidade fez me madura. E com a sua dependência diária você me fez independente...

Cadê a Síndrome de Down que Estava Aqui?

Neste livro, são descritas as ações de Lurdinha procurando mostrar que pessoas com síndrome de Down podem desenvolver-se de modo muito próximo ao da normalidade. O livro emociona, propõe questionamentos, indica alternativas. Traduz indignação ante o preconceito e luta contra ele, ao mesmo tempo que traz a esperança de bani-lo pela demonstração de que a deficiência mental na síndrome de Down é socialmente construída.

FALANDO COM O ANJO 

Nick Hornby convidou onze dos principais escritores da nova geração para compor Falando com o anjo, uma coletânea de contos distintos entre si, mas unidos por uma causa comum: ajudar a arrecadar fundos para a TreeHouse, escola londrina especializada na educação de crianças autistas, onde estuda o filho do organizador. Humor, crítica social, drama, política e arte...

Feliz Ano Velho

A partir do acidente que sofreu ao dar um mergulho e bater a cabeça, Marcelo vê sua vida mudar radicalmente. Seus dias no hospital, as visitas que recebeu, as histórias que viveu são relatadas sob uma nova perspectiva: a de um jovem que sempre fez tudo o que podia e queria, e que, agora, sentado em uma cadeira de rodas, vê-se impotente diante dos acontecimentos, dependendo da ajuda de amigos e familiares para reaprender a viver.

Maria de Rodas

Os desafios da maternidade e o papel da mulher cadeirante foi o ponto de partida deste livro, Tatiana Rolim com a concretização do sonho de ser mãe decidiu dividir sua experiência com outras mulheres que também tenham esse desejo.Para engrandecer a obra convidou as amigas Flávia Cintra, Carolina Ignarra e Juliana Oliveira para também escreverem suas experiências. A princípio o comum entre elas era apenas o fato de serem cadeirantes, quando dividiram suas histórias descobriram que há muita coisa em comum na maternidade. Este livro reúne emocionantes histórias e importantes dicas que incentivam, motivam e informam mulheres cadeirantes, outras mulheres, casais, profissionais da saúde e pessoas interessadas em experiências e desafios.

Meu andar sobre rodas

Uma vida completa é cheia de limitações. A de Tatiana Rolim logo lhe mostrou uma das mais sufocantes - a cadeira de rodas. Em sua biografia, a autora fala da história da menina que, aos 17 anos, sofreu um atropelamento e nunca mais andou.

Mara Gabrilli: Depois Daquele Dia

O dia 21 de agosto de 1994 mudaria para sempre a vida de Mara Gabrilli. Depois de um fim de semana em Paraty, Mara acordaria no hospital e, aos 26 anos, descobriria que uma fratura nas vértebras C4 e C5 tirara os movimentos de seu corpo do pescoço para baixo. Foram meses de passagens por hospitais; primeiro em São Paulo, depois em Boston e Pittsburgh. Foi em um centro de reabilitação norte-americano que Mara aprendeu a lidar com a aquela que seria sua companheira para o resto da vida: a cadeira de rodas. Desde o acidente, Mara é acompanhada 24 horas por cuidadoras ou amigos, que sempre a rodeiam, e é auxiliada em todas as atividades do dia a dia.  confira no livro

O Grito da Gaivota

Emmanuelle Laborit é surda profunda. Neta do cientista Henri Laborit, actriz agraciada com o Prémio Molière, é a protagonista deste testemunho, marcado pela memória de um crescimento que se viveu diferente; testemunho de uma vida, vista pelos olhos de uma menina, contado pelo sentir de uma mulher. Relato pessoal e subjectivo de alguém que cresceu no mundo do silêncio, que nunca aprendeu a viver à distância da comunicação, e que acaba por se libertar de um mundo que não precisava de ser assim.

Chegando a faculdade sem as mãos

Esse belíssimo livro conta a história de Thales Freire Pagassini , umas história que para muitos pode parecer normal nas primeiras linhas , mas o detalhe é que Thales teve paralisia cerebral no nascimento e escreveu toda essa obra com o pé , você não pode deixar de adquirir o seu exemplar , vale cada palavra !!!!  A melhor forma de lhe explicar sobre o livro é compartilhando com você a parte que escrevi sobre o autor !!!
Thales Freire Pagassini é paulista, nascido em 19 de maio de 1989. Por uma negligência médica e atraso no parto, seu destino foi traçado naquele dia. Thales teve uma lesão cerebral por falta de oxigenação. Mas nem tudo foi ruim nesse dia, a lesão foi em um grau que afetou a sua condição motora e a fala, mas a parte cognitiva estava intacta. Thales possui uma inteligência incrível, um ótimo senso de humor e uma visão de vida que
raramente se encontra. A palavra impossível nunca fez parte do dicionário do autor.

CAMINHANDO EM SILÊNCIO

"Caminhando em Silêncio" traça em suas 184 páginas o percurso das pessoas com deficiência na História do Brasil, dividido em quatro Unidades e treze Capítulos. Na primeira, o leitor encontrará a política de exclusão entre nossos indígenas, o assistencialismo dos Jesuítas, a violência gerando deficiência entre os escravos, medicina, hospitais e reabilitação e o estabelecimento da cultura "deficiência associada à doença". A Educação é tema da segunda, abordado início das instituições e entidades assistenciais (1854-1956), legislações e políticas nacionais (de 1957 aos dias atuais) e Algumas entrelinhas da Educação Especial. Três capítulos falam de consciência e organização política, o Ano Internacional de Pessoa Deficiente no Brasil, movimentos políticos da pessoa com deficiência e as Representações Sociais geradas pelos Movimentos. Por fim, a quarta unidade foca o assunto deficiências em algumas lendas brasileiras, as entrelinhas de nossa literatura e no contexto das expressões artísticas.

"DEFICIENTE MENTAL Por que fui um?"

Todos nós nos perguntamos por que algumas pessoas nascem normais e outras com deficiência mental ou física. Acaso? Destino? Ou há explicação mais lógica e profunda para isso?A convite de Antônio Carlos, alguns espíritos que viveram uma encarnação como deficiente mental vêm nos responder a essas e a outras dúvidas de forma clara e precisa, mostrando-nos que a bondade e a justiça de Deus estão sempre presentes em todos os acontecimentos de nossa vida. Mais que um livro, uma homenagem sincera e carinhosa às pessoas que cuidam, amam e orientam aqueles que por algum motivo passam uma encarnação com deficiência.

A Dislexia

Pondo em xeque a utilização corrente do diagnóstico de dislexia para distinguir crianças cujo aprendizado da escrita difere do padrão, Giselle Massi apresenta neste livro um ponto de vista inovador. Ao analisar casos de alunos considerados disléxicos, a autora demonstra como é frágil e arbitrária a definição dessa suposta patologia, a qual - pautada em explicações genéticas, neurológicas, metabólicas, entre outras - permite que análises do processo de apropriação da escrita permaneçam restritas à esfera individual. Para embasar seu estudo, dialoga com um sólido corpo teórico de fundo sócio-histórico, convocando vozes de autores como Vygotsky e Bakhtin para sustentar sua argumen tação de que a apropriação da escrita, como a de qualquer prática de linguagem, constitui-se em espaços de interlocução entre um eu sujeito-aprendiz e um outro sujeito-mediador, mergulhados em relações sociais. ... Fechar

Ainda sou eu

Neste livro, o autor conta a história de sua vida antes e depois do acidente eqüestre que, em 1995, paralizou-o do pescoço para baixo, praticamente separando a cabeça do corpo. Reeve faz ainda revelações de como o Super Homem vive agora.

Do Outro Lado Do Sol

Aos 19 anos, Kátia foi vítima de um angioma cerebral que danificou seriamente o lado esquerdo do cérebro. As seqüelas não podiam ser piores: Kátia ficou com amnésia, praticamente muda, com o lado direito do corpo paralisado. Esqueceu de toda sua história pessoal, não se lembrava mais de seus amigos, não sabia mais ler, escrever, raciocinar, não podia mais sonhar... Apaixonada pela vida, dedicou 14 anos para se recuperar desta fatalidade e conquistar novamente uma existência digna. Tempos depois, aos 33 anos, foi vítima de um novo sangramento, de uma segunda provação. Esta é mais que uma história fascinante, de determinação e de força. É uma lição de vida, a lição de uma mulher que conheceu o outro lado do sol e, da penumbra, expandiu sua própria luz...

E Eu Venci Assim Mesmo

A vida e a obra de Dorina Nowill, brasileira que ficou cega na adolescência, especializou-se em educação para cegos, criou a primeira fundação para o livro do cego no Brasil e foi a primeira mulher a assumir a presidência do Conselho Mundial para o Bem Estar do Cego.

Salvando Meu Filho

No dia 4 de julho de 1998, meu filho Jeffrey, um adolescente simpático que mal tinha começado a aproveitar a vida e a compreendê-la, mergulhou na piscina, bateu com a cabeça e quase se afogou antes de ser "resgatado" por nós, seus pais, e lançado em uma situação de paralisia tetraplégica irreversível. Esta é a história de como a minha família primeiro enganou a morte e em seguida flertou com ela durante dez dias.

Sem asas ao amnhecer

O livro relata a história real de Luciana Scotti após uma acidente de AVC, sua vida dividida em duas partes extintas, em que precisou aprender a lidar.Uma mudança na visão sobre mentiras e sobre uma vida de prazeres que não levam a nada.

Sopro no corpo

Trago uma excelente dica de leitura, o livro de Marco Antonio de Queiroz, Sopro no Corpo: Vive-se de Sonhos, reeditado e atualizado em 2005. Como é conhecido, diabético desde os 3 anos de idade, perdeu a visão aos 21 anos e foi transplantado de rim e pâncreas. Segundo Affonso Romano de Sant'ana, ele conta a sua trajetória com uma auto-ironia primorosa e desconcertante. Ano passado deu uma entrevista no programa "É Preciso Saber Viver" da novela América:

É um livro em que eu conto de tudo. Minha doença, minhas limitações, meu relacionamento com elas... Toda essa luta, que pode servir como motivação a alguém que tenha os mesmos problemas".

Superar o Impossível

Neste livro, Christopher Reeve mostra ao leitor que ninguém precisa aceitar qualquer tipo de limitação -- imposta por si mesmo ou por terceiros --, podendo recorrer à força interna que pulsa em cada um e apenas aguarda uma decisão para ser despertada. Superar o Impossível ensina que a vida não deve passar em brancas nuvens, podendo ser vivida em sua plenitude, com entusiasmo, curiosidade e gratidão. Nesta obra de enorme poder inspirador, Reeve demonstra que sempre é possível viver intensamente, contando histórias surpreendentes sobre sua carreira, sua lesão na coluna e sua dedicação a muitas causas. Vida e obra a serviço da superação de obstáculos aparentemente intransponíveis.

Velejando a vida

Para muitas pessoas, a paraplegia fecha as portas à vida. No caso de João Carlos Pecci aconteceu o contrário: abriu as portas que fizeram crescer seu lado humano e sensível. Persistente e determinado, sempre procurou ultrapassar os limites que a paraplegia impõe. E conseguiu vencer um dos maiores obstáculos, realizando seu grande sonho: ser pai. No mundo são poucos os homens que, sendo portadores de lesão medular, conseguem gerar um filho por meio da auto-inseminação. Pecci é um desses homens. "Velejando a Vida" é a comprovação de que a deficiência física se dilui na magnitude do comum, na liberdade do exercício da vida, na vontade de vencer.